Prefeitura esclarece dúvidas sobre escorpiões

Vigilância Ambiental e Epidemiológica dá todas as informações sobre o animal peçonhento

A Prefeitura Municipal por meio das Vigilâncias Ambiental e Epidemiológica esclarece algumas dúvidas da população sobre o escorpião. Em Aguaí a espécie do  animal peçonhento predominante é o Tityus Serrulatus, conhecido como escorpião amarelo.

Os casos de aparecimentos de escorpiões relatados pela população na Ouvidoria Municipal, ou os casos de acidentes com escorpiões que são notificados pelo sistema de saúde municipal e são encaminhados para a Vigilância Ambiental para investigação, denominada “busca ativa” onde são vistoriados o imóvel do reclamante e os imóveis nas proximidades. Na vistoria tenta-se encontrar o foco do vetor ou mesmo o animal. Os moradores são orientados sobre as medidas de prevenção e de como proceder em caso de acidente.

Aguaí não é considerado um município infestado. Em 2018 foram registrados 22 acidentes com escorpião e em 2019, 21 acidentes até o momento.

A Santa Casa de São João da Boa Vista “Carolina Malheiros” é o Ponto Estratégico onde se localiza o soro antiescorpiônico, para vários municípios da regional. Cabe ao médico no primeiro atendimento avaliar a gravidade e encaminhar o acidentado para o Ponto Estratégico, necessário.

Os pontos estratégicos são definidos pela Secretaria Estadual de Saúde de acordo com alguns critérios estabelecidos, entre eles o cenário epidemiológico e a distância entre o PE e o município que acessa o ponto.

O que fazer para controlar a ocorrência de escorpiões?

As medidas de controle e manejo populacional de escorpiões baseiam-se na retirada/coleta dos escorpiões e modificação das condições do ambiente a fim de torná-lo desfavorável à ocorrência, permanência e proliferação destes animais.

Na área externa do domicílio:

• Manter limpos quintais e jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar;

• Acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou outros recipientes apropriados e fechados, e entregá-los para o serviço de coleta. Não jogar lixo em terrenos baldios;

• Limpar terrenos baldios situados a cerca de dois metros (aceiro) das redondezas dos imóveis;

• Eliminar fontes de alimento para os escorpiões: baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados;

• Evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões, como obras de construção civil e terraplenagens que possam deixar entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc;

• Remover periodicamente materiais de construção e lenha armazenados, evitando o acúmulo exagerado;

• Preservar os inimigos naturais dos escorpiões, especialmente aves de hábitos noturnos (corujas, joão-bobo, etc.), pequenos macacos, quati, lagartos, sapos e gansos (galinhas não são eficazes agentes controladores de escorpiões);

• Evitar queimadas em terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões;

• Remover folhagens, arbustos e trepadeiras junto às paredes externas e muros;

• Manter fossas sépticas bem vedadas, para evitar a passagem de baratas e escorpiões;

• Rebocar paredes externas e muros para que não apresentem vãos ou frestas.

Na área interna

• Rebocar paredes para que não apresentem vãos ou frestas;

• Vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha;

• Reparar rodapés soltos e colocar telas nas janelas;

• Telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques;

• Telar aberturas de ventilação de porões e manter assoalhos calafetados;

• Manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados.

Observação: em áreas rurais, a preparação do solo para plantio pode promover o desalojamento de escorpiões de seu habitat natural (barranco, cupinzeiros, troncos de árvores abandonadas por longos períodos)

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out LoudPress Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out LoudPress Enter to Stop Reading Page Content Out LoudScreen Reader Support